sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Um Dia de Cão


Finalmente vi o tão falado filme de Sidney Lumet! O filme começa com "Amoreena" de Elton John, mostrando Brooklin em 1975. Nesta epoca o Watergate já tinha aparecido, desemprego era comum, já tinha acontecido a Rebelião do presidio de Attica! A música continua e vemos 3 pessoas num carro, Sonny (Al Pacino) desliga o som. Os 3 entram no banco e o assalto começa! Bom mais um filme de macho? Negativo!!! Bem vindos ao Clube da luta dos anos 70!!! A partir dai todas as regras serão quebradas! O assalto que levaria 10 minutos, vira um grande evento. Sal (John Cazale) , num empenho impressionante, sendo o comparsa sangue frio e Sonny o cabeça! Pacino hora nos olha assustado, outras ele consegue dominar policia, midia e refens. Logo quando o delegado Moretti (Charles Durning) chama nosso anti heroi para fora do banco e Sonny sabiamente gritando Attica muda de vilão para heroi. Dai o filme ganha densidade e acabamos torcendo para o assalto ser a favor dos bandidos. Aos poucos vamos descubrir por que o assalto, Sonny é muito mal casado e não tem dialogo com a mulher Angie (Susan Peretz) e mantem um romance com Leon (Chris Saradon) e o dinheiro é para mudança de sexo deste. O filme tem a maestria de Sidney Lumet e a escolha de elenco teve a participação de Al Pacino. Por insistencia deste que John Cazale entrou no elenco, quem não se lembra de Fredo em "O Poderoso Chefão". E o amante Leon (Chris Sarandon), hoje em dia mais conhecido por ser ex-marido de Susan Saradon, nos bastidores tanto Lumet qto Al pacino sabiam que o papel seria dele. Alias o diretor pediu que o tom fosse "Menos Blanche Dubois e mais dona de casa.". O filme tem frases geniais como o dialogo de Sal e a gerente das caixas, quando ele diz que não quer morrer de cancer e ela ironicamente responde que ele se preocupa com o corpo e assalta um banco. Sem falar no improviso quando Sonny pergunta para Cazale para que Pais ele gostaria de ir e ele responde Wyoming, Sidney caiu na gargalha e deixou na edição final.

Em 1975 o próprio realizador original do assalto, John Wojtowicz (no filme, Sonny Wortzik) escreveu um artigo para o New York Times, onde apontava para os fatos verídicos e falsos do filme (dois deles, bastante curiosos, é que tanto ele quanto Sal já estavam imobilizados quando o agente do FBI decidiu atirar em Sal; e o outro é que Ernest Aron (no filme, Leon), havia sofrido morte clínica em sua última tentativa de suicídio, uma semana antes do assalto).

John Wojtowicz foi condenado a 20 anos de cadeia, cumpriu 14. Recebeu direitos sobre o filme. Morreu em 2 de Janeiro de 2006.

video

Nenhum comentário: